Atividades


Voltar à Listagem

Agrupamento de escolas de Real


03 Junho 2014
Participação no "Ciência na Escola"
O Agrupamento de Escolas de Real participa na 11.ª edição do Prémio da Fundação Ilídio Pinho Ciência na Escola com o projeto Apis melífera – da flor à pele, tendo passado na fase de concurso de ideias.

O projeto valoriza a abelha melífera através do envolvimento da população na defesa da espécie e da aplicação de produtos apícolas, na alimentação e cosmética. As turmas 8.ºE e G dinamizam o projeto, que se dirige a toda a comunidade educativa e cujo desenvolvimento passa pela produção de sabonete artesanal de alfazema e creme hidratante de azeite e cera de abelha, realização de workshop, projeção do filme “Abelhas e Homens”, realização de palestra a incidir nos prejuízos resultantes da ação da vespa asiática sobre as abelhas para a população em geral e na produção de cartazes.

A Humanidade depende da biodiversidade, pelo que a sua preservação se torna indispensável, num planeta em que a supremacia da espécie humana ainda não permitiu a irradicação da fome. A preservação de espécies que constituem o primeiro nível trófico de cadeias alimentares torna-se urgente, sustentando todos os outros. As abelhas, pertencendo à classe dos insetos, são importantes agentes polinizadores que asseguram a reprodução de inúmeras espécies vegetais, que por si só ou pela posição que ocupam nas cadeias alimentares são de grande relevância para o Homem, assegurando a sua alimentação.

A par disso, a própria Apis melífera proporciona-nos produtos excecionais de inigualável valor nutricional e medicinal como o mel, a geleia real e a cera de abelha. Sendo um recurso natural que assegura a existência de outros é crucial a sua preservação.

No entanto, este emblemático inseto encontra-se em risco devido a vários fatores como parasitas, poluição, destruição de habitats e a recente invasão da vespa asiática - Velutina nigritorax, que recentemente foi registada em Portugal e que tem protagonizado ataques furtivos às colmeias da abelha melífera, comprometendo a sua subsistência e tudo o que esta, por sua vez, assegura. A sua presença foi mesmo, registada nas imediações do recinto escolar da escola sede do Agrupamento de Escolas de Real em 2012, sendo por isso, pertinente a abordagem deste tema.
Deste modo, o Agrupamento e os alunos das turmas E e G do 8.º ano, dão o seu contributo para a resolução de um problema real que afeta a comunidade.

Veja aqui o cartaz...