Atividades


Voltar à Listagem

Agrupamento de escolas de Real


09 Dezembro 2013
No Dia de S. Geraldo: Alunos da Sé recriam ‘Milagre da Fruta’
Conta a lenda que, S. Geraldo se encontrava muito doente, em Bornes, cercado o tugúrio onde se refugiara com os seus familiares, fugindo à neve que caía abundantemente por aquelas terra. Nos ardores da febre que o consumia, pede a um dos familiares que lhe traga algumas peças de fruta, para aplacar a sede e dar um pouco de alento ao seu debilitado corpo. Responde-lhe o seu criado que, naquele lugar e com aquele tempo invernoso, as árvores estavam despidas de folhagens e frutos. Poder-se-ia talvez encontrar ainda espalhadas pelo chão algumas castanhas e nada mais. A esta observação responde S. Geraldo: ”vai e procura!”. Então, por uma frincha da porta por onde entrava o regelante frio, o servo viu que as árvores, lá fora, ao redor do terreiro, estavam floridas e recheadas de belos frutos”.
No dia 5 de dezembro os alunos dos 3º anos da EB 1 da Sé, representaram, na Sé Catedral de Braga, ”A Lenda da Fruta”, um dos relatos de milagres atribuídos a S. Geraldo, padroeiro da cidade de Braga, cumprindo assim uma tradição que conta já com vários anos.
Tendo como cenário a Sé Catedral- que estava repleta de crianças os alunos, apresentaram um trabalho que primou pela qualidade e espírito de entrega.
Ao alunos que frequentam as AEC’s ficaram responsáveis pela parte musical, (Canções e flauta) , ensaiados pela professora de Expressão Musical Elisabete Gonçalves, e os meninos que não as frequentam ficaram responsáveis pela representação da peça, ensaiados pelas professoras titulares de turma Júlia Nogueira e Ivone Campos”.
A assistir a esta encenação esteve a vereadora da Educação e Cultura da Câmara Municipal de Braga, Lídia Dias, que dando os parabéns a alunos e professoras, referindo a importância e o valor deste tipo de espectáculo, que dignifica e dá a conhecer a escola pública e o património da cidade.
Esta foi uma forma de divulgar as tradições e o padroeiro da cidade de Braga, tornando a escola um foco de divulgação do património cultural.