Atividades


Voltar à Listagem

Agrupamento de escolas de Real


31 Março 2014
A matemática no Jardim-de-infância de Parada
“O projeto da galinha Vermelha”
A matemática é desde há muito tempo uma área emergente para trabalhar. Começar cedo, é o primeiro passo para a perceber e gostar dela.
No nosso jardim brincamos à matemática com a galinha vermelha. Não viva, claro está. É a história de uma galinha ruiva, à qual resolvemos chamar-lhe Vermelha para os mais pequeninos não ficarem confusos com as cores que ainda estão a aprender.
Depois da história, os mais pequeninos, dão uma cor de batismo a cada animal. Pintam-nos, manuseiam e esculpem a galinha com plasticina, aprendem a voz de cada um, contam os animais e fazem vários jogos com tamanhos, cores, quantidades…
Os mais velhos pensam em fazer um painel da história. Como já tinham feito um papagaio de origami noutra história anterior e adoraram a experiencia, tem a feliz ideia de querer fazer todos estes animais da história galinha vermelha em origami, para desespero da Educadora. Bem, mãos à obra e internet em ação. Vamos aprender mais origamis por tutorias online, e começar a recortar retângulos e quadrados em papel.
Pois…..figuras geométricas! A nossa querida Julieta Peixoto, docente de matemática da EB2,3, trouxe-nos a história do “figurinhas”. Falou com as crianças sobre as figuras geométricas mais conhecidas e simples, para que todos as conhecessem. Contamos que no Natal tínhamos feito um teatro com todas essas figuras!
Aí foi o despoletar da imaginação e criatividade: jogos de memória com o “figurinhas”, composições livres com as figuras geométricas, noções de igual e diferente, maior ou menor…
A organização e montagem do painel da história em origamis deu um novo alento às figuras geométricas, escolhidas depois para construir o jogo que pensaram sobre a história da galinha Vermelha.
Os mais velhos empenharam-se na invenção e inovação, criaram regras, estabeleceram critérios à sua medida e brincaram enquanto “ trabalharam” a matemática ao mesmo tempo que se processava todo o projeto.
As suas avaliações sistemáticas e assíduas eram cada vez mais complexas e o grau de exigência no patamar seguinte era notoriamente evidente, resultando num trabalho de magnífico valor cognitivo.
De todo o trabalho, apenas apresento algumas evidências, permitindo a cada um imaginar como se pode desenvolver competências matemáticas num Jardim-de-infância de forma lúdica, mas séria.
A educadora,
Lurdes Gonçalves